Gonçalo quer Castelo de Paiva no centro da Região

O autarca paivense considera que o concelho tem que assumir-se como a maior “referência no território entre a foz e o Douro vinhateiro”. No passado sábado, na abertura do 1.º Festival de Lampreia, que decorreu no renovado cais de Sardoura, o presidente da câmara de Castelo de Paiva deu conta dos projetos que pretende implementar e que passam pela valorização dos produtos locais e pelo “estreitar” de relações com os recursos naturais.

Tudo assenta na estratégia global “Viver Payva Douro” e, nesse sentido, o autarca anunciou que vai ser criado um percurso pedestre, em toda a extensão ribeirinha do Douro, com 14 quilómetros, que incluirá passadiços, pontes e miradouros em forma de barcos rabelo.

Este é considerado um projeto emblemático numa aposta na atratividade do território e nas potencialidades do turismo de natureza. Assim, pretende o autarca, serão criadas alavancas para a economia local, atraindo visitantes.

Gonçalo Rocha deu conta de toda uma estratégia que passa ainda pela dinamização dos cais de Midões e Sardoura, pelo arranque, ainda este ano, da Bienal da Cultura, que terá como principais percursores a Academia de Musica e o ator António Capelo.

Um dos pilares é a Casa de Payva, marca que constitui o “chapéu” dos produtos locais e onde “encaixam todas as referências do concelho” assegura o edil. Na inauguração do Festival da Lampreia foi também dada a conhecer a viatura que, levando consigo produtos com a marca “Casa de Payva”, vai percorrer pontos turisticos, dando a conhecer “o melhor de Castelo de Paiva”.

O presidente da Câmara anunciou também um leque de parceiros para os projetos concelhios e que junta ao município a Administração dos Portos do Douro e Leixões, o Turismo do Porto e Norte, a Douro Azul, a Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras, a hotelaria do concelho e as forças vivas locais.(imagens virtuais CMCP)

Siga-nos