Cinfães acolhe congresso de arquitectura

O auditório municipal, na sede do concelho de Cinfães, recebe amanhã, o segundo dia do 1.º Congresso de Arquitectura da Universidade Fernando Pessoa. A iniciativa com o tema,  “Territórios de Baixa Densidade – Desafio da Reabilitação No Contexto Rural” tem a primeira sessão esta sexta-feira no auditório da Universidade.

Manuel Cerveira Pinto, um dos responsáveis pela organização, adiantou à Rádio Montemuro que o tema tem estado a ser estudado na Universidade e que a aldeia de Boassas, classificada como Aldeia de Portugal, em Oliveira do Douro, Cinfães, é uma das localidades a visitar no último dia do encontro. Na iniciativa participam vários especialistas que, segundo a organização, darão o seu contributo para o tema em análise. Manuel Cerveira Pinto espera que do congresso possam ser tiradas “ilações sobre o futuro do mundo rural que, nos últimos anos, tem sido tão abandonado”, sublinha.

O arquitecto cinfanense lembra que está aprovada, desde outubro do ano passado, uma área de reabilitação urbana, em Boassas. Neste momento a Universidade está a desenvolver um projeto no sentido da reabilitação da aldeia. Cerveira Pinto reconhece que “uma aldeia não é a solução para todo o espaço rural, mas pode ser um balão de ensaio para aquilo que poderá vir a fazer-se em outros espaços”, adianta.

O auditório de Cinfães é, então, um palcos do Congresso, que começou hoje na Universidade Fernado Pessoa. No domingo, dia 29 de outubro vai realizar-se uma visita à aldeia de Boassas.

A participação é gratuita e serão atribuídos créditos de formação aos professores do ensino básico e secundário que se inscrevam no evento. O Congresso conta com vários apoios entre os quais da Ordem dos Arquitectos Portugueses, do Instituto de Urbanística da Universidade de Valladolid, em Espanha e da Câmara Municipal de Cinfães. (foto J.F. Oliveira do Douro)

Siga-nos