Autarca de S. Cristóvão ameaça processar a Águas do Norte

Paulo Vasconcelos, presidente da junta de freguesia de S. Cristóvão de Nogueira, em Cinfães, reeleito pelo PS, no passado dia 1 de outubro, quer que o problema das descargas de resíduos da Estação Elevatória de Louredo para o ribeiro Sampaio seja definitivamente resolvido.

O autarca considera ser este um problema ambiental “muito grave” que preocupa, não só a junta de freguesia como também a população e a Câmara Municipal, e que precisa de uma solução urgente. O presidente da junta diz saber que o problema é provocado pela entrada de águas pluviais no sistema o que provoca o seu colapso e a consequente drenagem para o curso de água.

A última informação que obteve por parte da empresa Águas do Norte aponta para a realização de obras de drenagem de águas pluviais para que não entrem nas condutas de saneamento, revela o autarca. Paulo Vasconcelos reconhece que tem havido vontade de solucionar o problema, mas adianta que, “caso volte a acontecer uma descarga” no ribeiro Sampaio, vai apresentar “reclamações às entidades competentes e mover uma queixa em tribunal contra a empresa Águas do Norte”, assegura. O presidente da junta de S. Cristóvão de Nogueira explica ainda outras preocupações ambientais, como é o caso do lixo que abusivamente é depositado nas bermas das estradas.

A propósito das infraestruturas básicas, água e saneamento, o responsável local adianta que, “há 4 anos, não havia qualquer instalação na freguesia”. No entanto, explica que, com as obras que estão em curso em vários lugares, a taxa de cobertura em S. Cristóvão de Nogueira “deverá atingir, em breve os 66% ” sublinha. Os lugares de Sogueire e Vilar do Peso, logo que possível, serão beneficiados também com a instalação de infraestruturas de água e saneamento. No que respeita à água, o autarca revela que a seca que se tem verificado está a causar alguns problemas aos habitantes de determinados lugares, uma vez que, “dos 62 fontanários existentes, cerca de 10% estão secos”, lamenta.
Preocupante para a população local é também, segundo Paulo Vasconcelos, o número elevado de cães vadios que proliferam pela freguesia, que deixam “assustada a população e ameaçam a saúde pública”, além dos prejuízos que causam aos produtores agrícolas.

A aposta na melhoria da rede viária é outra das prioridades do presidente da junta de freguesia de S. Cristóvão de Nogueira. Paulo Vasconcelos assume que, no anterior mandato, algumas verbas dessa área foram “canalizadas” para questões sociais, mas adianta que, neste mandato, as vias internas da freguesia vão merecer mais atenção.

Uma das obras que deve avançar de imediato é o alargamento do cemitério. Trata-se de uma necessidade urgente, uma vez que “já não há qualquer campa vazia”, revela. “Existe um projeto de 120 mil euros mas a junta de freguesia não tem dinheiro para o concretizar, embora reconheça que tem que ser feito”, assegura Paulo Vasconcelos.

O autarca de S. Cristóvão de Nogueira sublinha ainda que existem motivos para encarar o futuro com otimismo e destaca a obra do Parque de Campismo e Caravanismo que está em curso junto à barragem de Carrapatelo e que vai proporcionar uma nova atrativiade para a freguesia e para o concelho de Cinfães.

Paulo Vasconcelos promete um novo mandato na continuidade do anterior, com um sublinhado na atenção particular para a promoção das potencialidades locais, para o setor Social e para a Educação, em que, garante, irá manter os apoios. O autarca adianta que está em estudo a criação de um incentivo a disponibilizar para os estudantes universitários da freguesia.

Siga-nos