Souselo investe nas zonas ribeirinhas para cativar turistas

A vila de Souselo, em Cinfães, está apostada em tirar partido das potencialidades de determinadas zonas para se promover turisticamente. Os espaços ribeirinhos, quer no Douro, quer no rio Paiva são, segundo o autarca local, pontos com interesse turístico e que é preciso aproveitar. Para José Mourisco, reeleito pelo PS nas últimas autárquicas, estão a ser criadas condições para que se conjuguem fatores em favor do desenvolvimento turístico local. O que se pretende, em sua opinião, é criar “ligações entre as zonas ribeirinhas e os locais mais emblemáticos e históricos da freguesia”, adianta. Como exemplos, explica a atratividade do cais de Escamarão e a zona histórica do lugar, onde pontua a igreja românica de Nossa Senhora da Natividade, de onde deverão ser criados roteiros para promover os produtos locais e outras potencialidades. O rio Paiva, onde está prevista a criação de um Parque Temático, é outro dos pilares para o futuro da vila. O autarca sublinha a relação histórica de Souselo com o rio e destaca a mais valia que constitui um dos cursos de água menos poluídos da Europa.

Além dos espaços das margens dos rios, José Mourisco aponta como avanços importantes para a modernização de Souselo, as infraestruturas de desporto e lazer, que estão a ser construídas junto à Igreja Matriz e que numa segunda fase vão incluir a construção de uma piscina. Também merece referência do autarca a requalificação, em curso, do espaço que medeia entre a Escola Básica do 2.º e 3.º ciclos e a zona do cemitério. Segundo o presidente da junta de Souselo, a zona da freguesia que envolve a Igreja vai tornar-se num dos pontos de maior atratividade. O destaque do autarca vai também para a requalificação do largo do Couto e do chamado “Couto Velho”, locais que considera serem “referências da vida, da história e da cultura” da vila souselense.

O reforço da aposta na Cultura é também um dos objetivos de José Mourisco que assegura a organização de, “pelo menos, um evento cultural mensal” que fomentará a dinâmica local. Os elogios vão também para o movimento associativo. Na opinião do presidente da junta, continuará a passar pelo empenho e pelo trabalho das coletividades, uma boa parte da atratividade local. A escola de música, criada, ao tempo, pelo atual presidente de Câmara, é considerada uma das percursoras, não apenas do ensino da música, mas também dos traços culturais que unem os souselenses.

A continuidade da construção de passeios junto à estada nacional n.º 222, no espaço onde circulam mais pessoas, entre a Igreja e a zona onde se localiza a sede da junta de freguesia, é uma das prioridades do executivo local para este mandato. Embora se trate de uma via da responsabilidade da Infraestruturas de Portugal, José Mourisco assegura que tem a proposta pronta para apresentar à tutela e que irá desenvolver todos os esforços para concretizar o anseio até porque, “é uma necessidade para a segurança das pessoas”, reconhece.

No âmbito da ação social, José Mourisco refere a resposta positiva que é dada pela Associação de Solidariedade Social da freguesia e que, dentro do possível, conta com o apoio da junta. A autarquia mantém o apoio à natalidade  e também aos acamados com a oferta produtos descartáveis.

O programa Anima Natal, que está em preparação, as Janeiras, a Noite das Marias, das Cafezeiras, a Feira dos Produtos Locais  e O Couto de Antigamente, são eventos que vão continuar na agenda da junta de freguesia. No que respeita à iniciativa “O Couto de Antigamente”, o presidente admite que a junta, na próxima edição, possa assumir a organização, com a parceria das coletividades, e “dar mais escala à iniciativa”, conclui.

Siga-nos