Junta de Cinfães anseia pelo alargamento da rede de infraestruturas básicas

O presidente da junta espera uma melhoria das infraestruturas básicas e da qualidade de vida dos cinfanenses na freguesia sede do concelho, nos próximos quatro anos. Reeleito pelo Partido Socialista, em outubro último, João Henrique Mendes explica as prioridades para o novo mandato e elege, além das questões relacionadas com a água e o saneamento, a Educação e a Ação Social como setores que devem merecer particular atenção.

No domínio das infraestruturas básicas o presidente da junta de Cinfães reclama  o alargamento da rede a toda a freguesia e adianta que a água da rede pública chega apenas “à área urbana da  vila, ao Casal, a Santa Eulália e a Pias”, explica. Por outro lado, João Henrique Mendes dá conta de que os fontanários e os tanques públicos “estão em risco” por falta de água, na sequência da seca extrema que o país atravessa. Por isso, a junta de freguesia tem estado a “apelar à população para que poupe a água”, revela.

No que respeita à área social, o autarca refere que há ainda “algumas lacunas que é preciso colmatar” . Nesse sentido, defende a criação de atividades ocupacionais e a maior proximidade com os idosos. João Henrique Mendes assegura que estão a decorrer conversações para a criação de um espaço de convívio, onde os idosos possam passar o seu tempo, com o objetivo de que fazer com que “os dias não seja todos iguais”, sublinha.

No setor da Educação, a junta de Cinfães vai dar continuidade ao projeto “Saber Mais em Cinfães” que consiste na disponibilização de explicações para os alunos de familias carênciadas, manter o apoio às iniciativas do Agrupamento de Escolas e criar algumas atividades de ocupação de tempos livres para os estudantes.

Na Cultura, o presidente da junta recorda algumas parcerias que têm vindo a ser feitas com a Academia D’artes e que têm proporcionado à população “bons momentos culturais”. João Henrique Mendes adianta que está a ser preparado “um evento para a quadra natalicia que envolve, não apenas a Academia, mas  também outras entidades. A propósito da falta de espaço com que se debate a Academia D’Artes de Cinfães, o autarca defende a reabilitação da Casa da Tulha, propriedade do municipio, para complementar o trabalho que a coletividade cultural desenvolve. Sublinha também que a falta de espaço é um sinal positivo, porque “significa que a Academia está a crescer” conclui.

O presidente da junta de Cinfães pretende continuar a beneficiar os acessos às habitações em alguns locais para que seja possível fazer chegar aí uma viatura, alertando que “há ainda muitos lugares onde o acesso é muito difícil”. O trabalho de beneficiação dos acessos tem sido feito numa “parceria com a Câmara Municipal, “que sempre esteve disponível”, e o autarca diz estar convicto de que o esforço conjunto vai manter-se neste mandato.

Para os próximos quatro anos, o presidente da junta de Cinfães quer dar continuidade ao programa que apresentou à população no primeiro mandato, até porque voltou a “merecer a confiança”, lembra. Pretende também reforçar algumas ações, como as parcerias com as coletividades e o apoio aos mais carênciados. João Henrique Mendes considera que todos os setores são importantes desde que se conjuguem no sentido da qualidade de vida dos cinfanenses.

 

 

 

 

 

Siga-nos