Marco candidata património às “Sete Maravilhas”

A Confraria do Anho Assado com Arroz de Forno do Marco de Canaveses apresentou a candidatura à “Mesa de Portugal” no âmbito da iniciativa “Sete Maravilhas”. O concurso desafia os portugueses a elegerem a melhor mesa de Portugal” e visa aliar gastronomia, vinhos, azeites e roteiros turísticos de cada região.

Ontem, durante a apresentação no Porto do prato regional com os primeiros anhos que resultam do rebanho da confraria, o chanceler, Luís Brás, deu conta da candidatura e explicou os elementos que integram a “mesa marcoense” no concurso. A Broa de Milho; o Verde; o Anho Assado com Arroz de Forno; a casta vinhão da Quinta da Samoça; as castas avesso e arinto da Casa Vilacetinho; a Igreja de Santa Maria, obra do arquiteto Siza Vieira e o Centro Interpretativo de Tongobriga, são as sete propostas da candidatura de Marco de Canaveses. Na sessão de apresentação, no restaurante “Oficina” na cidade do Porto, foi também apresentado o vídeo que acompanha a candidatura do património marcoense.

O desafio abraçado pela Confraria do Anho Assado com Arroz de Forno conta, entre outras entidades, com o apoio da Câmara de Marco de Canaveses. A presidente do municipio, Cristina Vieira, deu nota do empenho da autarquia e sublinhou que a “promoção do concelho só obtém bons resultados se for feita com o envolvimento de um conjunto de atores”, frisou. A autarca referiu o bom exemplo do trabalho que a confraria está a desenvolver e disse ter “um feeling de que a candidatura marcoense sairá vencedora do concurso”, concluiu.

As candidaturas à “Mesa de Portugal” estão abertas até ao dia 7 de março. Esta é a sétima eleição realizada em Portugal e visa, segundo a organização, promover os patrimónios que marcam a identidade nacional, mas também criar conhecimento com vista a promover o turismo.

As propostas de mesas terão uma validação científica que está a cargo da Rede de Instituições Públicas do Ensino Superior com Cursos na área do Turismo (RIPTUR), uma rede que engloba 17 instituições politécnicas, e que terá de garantir que todos os produtos apresentados a concurso são uma fiel representação da região.

O processo de eleição alinha pelo modelo de anos anteriores, com a seleção de uma lista de 49 pré-finalistas, 7 por cada região do país. Estas 49 mesas vão ser votadas pelo público, para eleger as 7 Maravilhas à Mesa, uma mesa por cada uma das 7 regiões de Portugal.

Siga-nos