Inclusão da ligação de Baião à Ponte da Ermida é hoje decidida

Os deputados votam esta sexta-feira, 5 de julho, em sede de Plenário, na Assembleia da República, uma proposta de adenda ao Plano Nacional de Investimentos (PNI 2030), apresentada por um grupo de trabalho da Assembleia, constituído para o efeito, onde se pode ler que a Ligação de Baião à Ponte da Ermida deve ser incluída no PNI porque é uma “via estratégica para o desenvolvimento” dos concelhos que abrange.

O grupo de trabalho submeteu a adenda, muito recentemente, ao crivo da Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas tendo sido aprovada por unanimidade. A discussão da proposta teve o contributo de vários grupos parlamentares.

Com a aprovação, com sucesso, na Comissão tudo indica que a inclusão da obra no PNI está por horas. O plenário vai votar um projeto de resolução proposto pelo PS onde as propostas do grupo de trabalho estarão em cima da mesa.  Normalmente, o plenário segue o sentido de voto da Comissão. Depois da adenda devidamente aprovada, o relatório do PNI segue para o Governo para que na próxima legislatura sirva de base às prioridades que vai fazer no plano de investimentos públicos.

Recorde-se que os autarcas de Baião e Resende, Paulo Pereira e Garcez Trindade, têm feito forte pressão em instâncias diversas para que esta obra veja, finalmente, a luz do dia. E nos últimos meses, depois de perceberem que a obra não tinha sido incluída no PNI desenvolveram diversas diligências no sentido de sensibilizarem para a importância estrutural da obra para toda a região. Paulo Pereira promoveu várias reuniões de trabalho com os grupos parlamentares com assento na Assembleia da República, nomeadamente PS, PSD, CDS-PP e PCP eleitos pelo Círculo do Porto. Apenas o Bloco de Esquerda não respondeu ao pedido de Reunião. Houve ainda uma reunião conjunta com Resende, reunindo os deputados do PS Porto e PS Viseu, com a presença dos respetivos Presidentes Federativos – Manuel Pizarro e António Borges. Mas não foi só, revela a autarquia baionense em comunicado; “O edil baionense, em esforço conjunto com Garcez Trindade, também batalhou junto de António Costa, primeiro ministro, e Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e Habitação, lembrando-os da necessidade de se executar a obra, “pelo bem da região”. Os dois autarcas apresentaram à tutela, recentemente, um estudo aprofundado e objetivamente sustentado que enfatiza a importância da infraestrutura, não só para Baião e Resende, como para toda a região. De salientar que os autarcas de Mesão Frio, Régua e Marco de Canaveses subscreveram a importância estruturante da mesma para todo o território.”

Todos os deputados com quem os autarcas reuniram, “naquela que é uma luta suprapartidária”, garantiram “empenho na chegada da mensagem a Lisboa”, prometendo “tomar voz na defesa da obra e da região”. A empreitada “Ligação de Baião à Ponte da Ermida” chegou a ser lançada a concurso no dia 31 de julho de 2009, ao fim de 27 projetos, com o valor de cerca de 26 milhões de euros e com previsão de realização em 2010/2011 e poria fim a uma espera de 25 anos. Até hoje, nunca se concretizou. Este novo troço rodoviário corresponde a uma antiga e legítima expectativa das populações abrangidas e significará uma alteração de grande relevância para a coesão territorial do país e para a redução das assimetrias económicas e sociais da região. A conclusão da obra vai permitir melhorar as condições de vida da população e gerará maior atratividade económica para Baião e para os concelhos vizinhos. Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, está expectante pela votação final desta sexta-feira e acredita que a proposta de alteração vai ser votada favoravelmente. “A verificar-se a votação favorável teremos conquistado uma vitória com a luta que tem vindo a ser empreendida, mas estamos conscientes de que este é apenas um pequeno passo. Vencemos esta batalha- a inclusão no PNI -, mas ainda não vencemos a guerra. Naturalmente, não baixaremos os braços até vermos a obra a arrancar. Aí sim, ficaremos satisfeitos”, garante.

Foram muitas as figuras que, ao longo de mais de trinta anos, lutaram por esta obra. José Luís Carneiro, anterior presidente da Câmara Municipal de Baião, assim como o deputado da Assembleia da República, natural de Baião, Fernando Jesus – que sempre sensibilizou e envolveu todos os deputados do PS Porto – são exemplos expressivos dessa luta que parecia ser “uma luta inglória”.

 

Siga-nos