Concelho de Baião recebe 2ª Brigada de Sapadores Florestais da CIM Tâmega e Sousa

O concelho de Baião vai ser dotado de uma segunda equipa de Sapadores Florestais, constituída por 2 equipas de 5 elementos. Esta vem juntar-se Brigada que se encontra já sedeada na antiga escola primária do Gôve desde finais do primeiro semestre deste ano.

A Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM) aprovou por unanimidade, o concelho de Baião como ponto estratégico para a sede desta Brigada, depois de terem estado em cima da mesa, os concelhos de Castelo de Paiva, Celorico de Basto ou Marco de Canaveses. A CIM já possui estrategicamente 6 equipas, que têm como “função intervir prioritariamente no âmbito da instalação e manutenção da rede primária de defesa da floresta contra incêndios, nas ações de consolidação e pós-fogo, bem como nas ações de estabilização de emergência”.

Telmo Pinto, Primeiro Secretário da CIM, referiu que a opção por Baião “é aquela que numa ótica de racionalização de recursos humanos e de sinergias dos serviços de Proteção Civil dos municípios, melhor se adequa, até pelo trabalho desenvolvido e experiência entretanto adquirida pela brigada que se encontra já em funcionamento e instalada no Gôve, num espaço com excelentes condições”.

As Brigadas, constituídas por sapadores florestais, são coordenadas por um técnico superior na área das ciências florestais e credenciado em fogo controlado, tendo ainda formação especializada ministrada pelo Instituto de Conservação da Natureza e Floresta (ICNF).

Paulo Pereira, presidente da Câmara Municipal de Baião, mostrou-se “satisfeito por ver em Baião, mas também na região, mais um reforço na ajuda à proteção da floresta e das pessoas. Esta valência é igualmente demonstrativa do empenho que Baião tem colocado nas políticas e ações de proteção civil e que se têm traduzido em inúmeras medidas que estão já no terreno”.

Este projeto vem de encontro ao trabalho que a autarquia baionense tem vindo a desenvolver, nas quais estão inseridas as seguintes medidas: implementação do Plano Operacional Municipal, Plano Municipal de Defesa da Floresta contra Incêndios e do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, assim como implementou faixas de gestão de combustíveis ao longo da rede viária e industrial, a limpeza de 21 quilómetros junto às vias florestais na serra da Aboboreira e Castelo de Matos, planos de fogo controlado em diversas zonas, e na sensibilização da população para a prática correta de realização de queimadas e da gestão de combustíveis em torno de edifícios e de aglomerados populacionais, sem esquecer o apoio às duas corporações de bombeiros do concelho na criação de equipas.

Siga-nos