Trânsito cortado no sentido descendente da Rua D. José de Arrochela em Castelo de Paiva

A Rua D. José de Arrochela, uma das principais entradas na vila de Castelo de Paiva, vai continuar com trânsito cortado no sentido descendente, depois da enorme derrocada que aconteceu por ocasião da passagem da Tempestade Elsa, que fez ruir parte do muro de suporte e do passeio do lado direito, já muito próximo da principal rotunda de acesso à zona urbana.

A Câmara Municipal lamenta os incómodos causados e apela à compreensão, salvaguardando que a atuação municipal terá sempre como prioridade a garantia da segurança e a salvaguarda de toda a população. Segundo comunicado, a autarquia esclarece que esta situação “acontece depois do parecer técnico, resultante da nova vistoria feita ao local no passado dia 10 de janeiro, por parte de técnicos da Câmara Municipal, Técnicos da Valsousa, que é dono da obra, e representantes da Edilages S.A, que foi a entidade adjudicatária. Dessa inspeção à obra, na sequência de solicitação da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, foi possível verificar que o muro de suporte e o passeio do arruamento de acesso à vila de Castelo de Paiva, no lado direito do sentido descendente, ruíram parcialmente, numa extensão aproximada de 20 metros.

Previamente, no dia 3 de janeiro, foi efetuada uma vistoria municipal com a presença de técnicos da autarquia, que entenderam dar autorização para reabrir a rua naquele sentido, ficando, contudo, decidido que seria prudente manter a monitorização do local.

Face à realização duma vistoria posterior ao local da derrocada, com técnicos das diversas entidades, foi decidido que este arruamento urbano teria de ficar encerrado naquele sentido descendente, atendendo a que, na zona da derrocada, têm sido percetíveis alterações e evolução dos aluimentos, razão pela qual o encerramento do trânsito na via de sentido descendente manter-se-á até que sejam garantidas condições de segurança”.

 

 

Siga-nos