Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Município do Marco de Canaveses, AEMarco e o DOTT tentam colocar PME’s do concelho a vender online

O perigo de contágio por coronavírus impossibilitou os portugueses de recorrerem, com a mesma periodicidade usual, ao comércio tradicional para executarem as suas compras. Com as várias medidas implementadas pelo governo português para impedir a propagação descontrolada da doença,o comércio de bens não essenciais viu-se obrigado a encerrar.

Assim, a Câmara Municipal de Marco de Canaveses, juntamente com a  Associação Empresarial de Marco de Canaveses (AEMarco) estabeleceu uma parceria com o DOTT, uma plataforma de venda online, considerada o maior shopping online do país com mais de 2 milhões de produtos, desde bens essenciais, a moda e calçado, produtos para animais ou telemóveis e comunicações, entre outros.

Esta parceria, tem como objetivo  trazer para o canal online todas as pequenas e médias empresas marcuenses, ligadas ao retalho ou venda de bens físicos, proporcionando-lhes assim, a venda dos seus produtos. Todo o processo será completamente gratuito, ou seja, sem comissões associadas, até ao dia 30 de abril.

A Presidente da Câmara do Municipal de Marco de Canaveses, Cristina Vieira, refere que esta parceria “é uma das ferramentas que o Município está a promover de forma a manter a atividade económica essencial para a sobrevivência do nosso comércio local e da manutenção do emprego que lhe está associado, nesta época de crise. É também uma ferramenta importante para capacitar os comerciantes para a adesão ao comércio online que cada vez mais surge como tendência de futuro.”

Já Manuel Ferreira, Presidente da Direção da AEMarco, evidencia “a utilidade da plataforma, que permite aos comerciantes locais manter os laços de confiança com os seus clientes e faz com que à sua dimensão não quebre o circuito da economia.”

Segundo Gaspar d’Orey, Diretor executivo da Dott “Sentimos que temos uma responsabilidade social para com a economia portuguesa. As PME’s do nosso país empregam mais de três quartos da força de trabalho nacional e, a permanecerem fechadas, serão sinónimo de abrandamento económico, indesejável a todos. Por isto, o online passou a ter um impacto grande na vida dos portugueses dadas as restrições de movimentação, e no Dott tudo faremos para ajudar.”