Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Ministra da Agricultura reuniu com a autarquia baionense Adega Cooperativa do Gôve

A Ministra da Agricultura, Maria do Céu Antunes, reuniu na passada terça-feira, dia 4 de agosto com o Presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, o Vereador com o pelouro dos Assuntos Económicos, José Lima, e diversos agentes de desenvolvimento local, na Adega Cooperativa do Gôve. A reunião teve como objetivo dar seguimento à intenção da autarquia de ver implementados alguns dos projetos apresentados numa primeira reunião com a governante, que decorreu no inicio do mês de março nos Paços do Concelho, nomeadamente a hipótese de se criar em Baião uma Organização de Produtores, aproveitando o espaço da antiga Adega Cooperativa, a necessitar de requalificação.

Maria do Céu Antunes elogiou a postura pró-ativa do executivo baionense, reafirmando que o Ministério da Agricultura “defenderá o projeto a par com a Câmara Municipal aquando da procura de eventuais formas de financiamento para a sua materialização”. Antes do início da reunião, a ministra pôde conhecer o espaço da Adega acompanhada da arquiteta Filipa Rocha.

O projeto tem como objetivo a reconversão da antiga Adega Cooperativa para um Centro Logístico e de Promoção do Setor Agroalimentar que funcionará como um Centro de Incubação e Germinação de Novos Negócios, Formação e Investigação no setor agrícola. O projeto comportará, entre outras valências, áreas de desenvolvimento de novos negócios, de apoio ao investimento, à inovação e internacionalização e com forte componente no armazenamento, logística e distribuição. Este centro, que já tem estudo e projeto arquitetónico concluído, pretende criar condições aos produtores da região para a sua agregação através da organização de produtores e como forma de ganharem escala, construindo novas competências de forma a serem mais competitivos e inovadores.


“Projetos como este são importantes para a ocupação coesa do território e para o seu desenvolvimento. É imperioso, em todo o país, esbater as desigualdades. Precisamos de um modelo de desenvolvimento harmonioso e integrado, em todo o território, seja ele em meio mais urbano ou mais rural, mais do interior ou mais do litoral, de forma a que todos tenham oportunidades. Este projeto tem a seu favor o facto de ter um modelo de governação que vai permitir juntar o território e os seus atores à sua volta, que entende a região, e que é estruturante para poder fazer face a tantos desafios que se lhe colocam” realça a ministra Maria do Céu Antunes.
O autarca baionense, Paulo Pereira, mostrou a sua satisfação pela discussão do que considera um “bom projeto, em linha com o Plano de Estabilidade Económica e Social e
o Plano de Recuperação Económica definidos pelo Governo e, certamente, com o futuro Quadro Comunitário de Apoio”.

O autarca terminou dando nota de que há boas possibilidades de se conseguir financiamento para os equipamentos de toda a estrutura através do Plano de Desenvolvimento Rural (PDR).  No entender de Paulo Pereira, “não será dificil reunir o apoio dos 11 autarcas”, em referência ao apoio da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa na requalificação do edifício em questão, realçando que esta questão, aliada ao “conjunto de entidades que estão envolvidas no projeto desde a primeira hora – pessoas com provas dadas e capacidade de trabalho”, faz com que estejam “reunidas todas as condições para que este projeto se possa materializar num curto/médio prazo”.