Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Baião investe cerca de 40 mil euros em dois jardins de infância

A Câmara Municipal de Baião adjudicou a realização de obras de modernização e melhoramento de condições nas instalações do Jardim de Infância do Barroncal, em Valadares, e do Jardim de Infância de Lordelo, na União de Freguesias de Ancede e Ribadouro. Em causa está a presença de amianto nestes edifícios, que pode acarreta um potencial risco ambiental e de saúde.

As intervenções implicam um investimento de 23.692,33 euros  no Jardim de Infância do Barroncal, e de 14.801,52 euros no Jardim de Infância de Lordelo. As duas obras são comparticipadas pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER), depois da autarquia baionense ter visto a respetiva candidatura de financiamento aprovada através da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM-TS). Neste investimento, para além da remoção de amianto, estão incluídos arranjos gerais nos edifícios.

No território baionense, este material concentra-se, sobretudo, em edifícios antigos, sendo que os Centros Escolares em Baião, construídos  depois de 2005, já não possuem amianto nas suas estruturas.

A Câmara Municipal de Baião está ainda a trabalhar de momento em mais projetos de requalificação nomeadamente para a Escola EB 2,3 de Santa Marinha do Zêzere e a Escola EB 2,3 de Eiriz e prevê-se que em 2021 também estes dois equipamentos sejam alvo de obras.

Para José Pinho Silva, vice-presidente da autarquia baionense que também tutela o pelouro da Educação, estas “são obras importantes para a garantia da segurança e saúde das Comunidades Escolares e o avanço destas duas obras, que são prioritárias, é uma excelente notícia para as crianças e jovens, mas também para Educadores, Pais e técnicos”.

Paulo Pereira, presidente da Câmara, mostra-se igualmente satisfeito pelo avanço das obras garantindo “que o investimento avultado feito pelo município na área da Educação em termos infraestruturais desde que o executivo chegou â Câmara, não se esgotou na construção dos Centros Escolares. Estamos atentos às necessidades dos edifícios e atuaremos sempre que se justificar porque a manutenção das estruturas, assim como a sua modernização são essenciais para o sucesso de toda a comunidade educativa”, recorda.