Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Autarquia de Castelo de Paiva aprovou acordo de cooperação com o IEFP de forma a apoiar as empresas do CACE

O município de Castelo de Paiva e  o IEFP- Instituto de Emprego e Formação Profissional, assinaram um Acordo de Cooperação de forma a “assegurar a dotação financeira, através deste organismo do Estado, para a (re) instalação das empresas do CACE (Centro de Apoio à Criação de Empresas do Vale do Sousa e Baixo Tâmega), vítimas do incêndio de Julho passado, permitindo que possam voltar a laborar na plenitude”.

Em comunicado, a autarquia paivense realça que “considerando os prejuízos graves foram as empresas tiveram e a importância de que se reveste a respetiva atividade, também na ótica da sustentabilidade do nível de emprego da região, foi dada execução às medidas excecionais de apoio vertidas na Resolução do Conselho de Ministros, de modo a viabilizar a retoma das respetivas atividades económicas e a respetiva recuperação e manutenção dos postos de trabalho, a par da promoção da qualificação profissional dos trabalhadores abrangidos.

Por outro lado, na vertente do emprego, releva a cooperação interinstitucional a formalizar neste Acordo de Cooperação no domínio do emprego e de formação profissional, que, relativamente às empresas vítimas do incêndio que afetou o Centro de Apoio à Criação de Empresas do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, prevê a sua reinstalação provisória em espaços adequados, até à reconstrução das instalações do Instituto do Emprego e Formação Profissional, I.P. (IEFP, I.P.), para os fins a que estavam acometidas.

Paralelamente, esta iniciativa não pode deixar de servir para ampliar a atuação do Estado, mantendo-se, por isso, no âmbito das atribuições do IEFP, I.P., os incentivos ao empreendedorismo, à criação de novas empresas e à criação do próprio emprego, através de atividades de incubação de novas empresas que iniciem atividade empresarial com interesse para o concelho ou região e que apresentem viabilidade económica e financeira, numa perspetiva de promoção do emprego e da criação de novos postos de trabalho e, consequentemente, do desenvolvimento económico que se deseja para o concelho”, 

Para o edil paivense Gonçalo Rocha, que reúne hoje com a CCDRN sobre este assunto, nomeadamente os apoios para a retoma da atividade laborar, este é um passo muito importante para dar nova vida e esperança a estas empresas do concelho, considerando que, “ apesar da demora e burocracia que sempre existe nestes processos, “ estamos a fazer o caminho e do lado da solução, porque nos importa as pessoas, as empresas e um tecido económico forte e saudável “.

Por parte do Instituto do Emprego e Formação Profissional, que opera a nível nacional, são suas atribuições incentivar a criação e a manutenção de postos de trabalho, através de medidas adequadas ao contexto económico e às características das entidades empregadoras, promover o desenvolvimento dos ofícios e das microempresas artesanais, designadamente enquanto fonte de criação de emprego ao nível local e a melhoria da produtividade da economia portuguesa.

Neste quadro de referências, foi assinado um Acordo de Cooperação que estabelece os termos em que obedece a reinstalação provisória das empresas vítimas do incêndio que afeito o Centro de Apoio à Criação de Empresas do Vale do Sousa e Baixo Tâmega, em espaços adequados ao desenvolvimento das respetivas atividades, no pressuposto da recuperação e manutenção dos postos de trabalho, bem como os incentivos ao empreendedorismo, à criação de novas empresas e à criação do próprio emprego, sendo igualmente regulada a instalação provisória de novas empresas, que desenvolvam atividade empresarial com interesse para o concelho ou região, que apresente viabilidade económica e financeira.

Ao Município de Castelo de Paiva compete apoiar a instalação ou reinstalação em espaços adequados ao desenvolvimento da atividade por parte das empresas identificadas no artigo anterior, assim como garantir que os espaços se encontram em conformidade com as normas legais aplicáveis, designadamente, em matéria de licenças e segurança, e a ao IEFP compete garantir ao Município de Castelo de Paiva, o financiamento do referido apoio, num valor de 740.000,00 (setecentos e quarenta mil euros) incluindo, se necessário, à adaptação dos espaços acima mencionados.

Relativamente às normas de acesso e utilização dos espaços, as condições de permanência e de acesso, bem como as normas de utilização dos espaços por parte das empresas, designadamente, despesas com eletricidade, água, gás, segurança e limpeza das áreas comuns, prazos de permanência, e seguros de responsabilidade civil aplicáveis, e regras sobre responsabilidade em caso de danos no imóvel, são objeto de um regulamento anexo ao agora assinado entre ambas as partes, sendo que, a execução do presente Acordo de Cooperação, que vai vigorar pelo prazo máximo de 36 meses, compete a uma Comissão de Acompanhamento, que é integrada por dois representantes de cada uma das entidades.

Fonte: Autarquia de Castelo de Paiva.