Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

COVID-19: Portugal regista 2505 novos casos e 196 óbitos

A atualização do boletim epidemiológico da Direção Geral de Saúde (DGS) desta segunda-feira dia 8 de fevereiro revela 2 505 novas infeções e 196 mortes em Portugal nas últimas 24 horas. Estes valores significam um total de 767 919 infeções e 14 354 mortes desde o início da pandemia no país.

Aquando da publicação do boletim, estavam internadas 6 344 pessoas nos hospitais portugueses, mais 96 do que ontem,  com 877 em unidades de cuidados intensivos, mais 12.

Há 612 921 pessoas recuperadas, mais 6 755 do que no domingo.

Subtraindo o número de mortes e de pessoas recuperadas, há 140 644 casos ainda ativos de infeção no país, menos 4 446 do que ontem.

O vírus já matou cerca de 2 milhões e 328 mil pessoas e infetou mais de 106 milhões e 765 mil em todo mundo, havendo cerca de 78  milhões e 460 mil  que já recuperaram da doença.

 

 

Conheça na região do Tâmega e Sousa a incidência cumulativa a 14 dias  (20/01/2021 a 02/02/2021) :

A incidência cumulativa em Amarante é de 1216 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Baião é de 1493 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Celorico de Basto é de 1166 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Castelo de Paiva é de 1229 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Cinfães é de 959 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Felgueiras é de 1044 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Lousada é de 892 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Marco de Canaveses é de 800 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Paços de Ferreira é de 628 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Penafiel é de 899 casos por 100 mil habitantes;

A incidência cumulativa em Resende é de 2062 casos por 100 mil habitantes.

 

 

 

 

 

Apenas Castelo de Paiva, Lousada e Resende aumentaram o valor de incidência.

Abaixo pode ver o índice que indica o grau de risco de cada concelho. As cores mais escuras representam os riscos mais elevados, as mais claras os riscos mais reduzidos.