Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Candidato do PSD à autarquia de Baião reuniu com o presidente da CCDR-N

Paulo Portela, candidato da coligação “Com Determinação Por Baião” e Ana Raquel Azevedo, presidente do PSD Baião, reuniram com o presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional Norte (CCDR-N), António Cunha.

Em agenda, além da apresentação da candidatura, os novos programas de fundos comunitários e a sua implicação para Baião.

Os dados mais recentes compilados pela CCDR-N mostram indicadores que colocam Baião no grupo de concelhos com menor rendimento económico face aos concelhos vizinhos, apresentando, por exemplo, um salário médio de 815 euros, em comparação com os 856 euros do Marco de Canavezes e os 876 euros de Amarante. No final da reunião, Paulo Portela estava satisfeito e esperançoso.

“Foi uma reunião muito produtiva, ficamos a conhecer os Programas Comunitários para 20/30 e as perspetivas são excelentes se houver estratégia e vontade fazer diferente mais e melhor. Agora é preciso ter uma equipa motivada e com ambição para tirar Baião dos piores indicadores nacionais!”, afirmou à saída.

Os indicadores de Baião e da região onde se insere preocupam Paulo Portela. O salário médio em Baião é de 815€, enquanto no Marco é de 856€ e Amarante é de 878€. O PIB por habitante divergiu relativamente à média, Tâmega e Sousa (de 73,8% para 72,6%) A desigualdade de rendimentos entre o Tâmega e Sousa e a Área Metropolitana do Porto é de 6.699 euros, superior à desigualdade entre Lisboa e Porto. O PIB per capita da Área Metropolitana do Porto é igual a 73,3% da média da UE, valor muito afastado dos 47,4% do Tâmega e Sousa, onde Baião se insere. Em 2018, o ganho médio mensal líquido dos trabalhadores era 9,5%, encontravam-se nos últimos seis lugares nacionais em matéria de ganho médio mensal líquido. “Estes valores são preocupantes e refletem 16 anos de inoperância, mas estamos cá para os alterarmos COM DETERMINAÇÃO POR BAIÃO”, afirmou o candidato.

“Quero dizer aos baioneses que a informação que a CCRD-N partilhou acerca dos novos programas comunitários, se o concelho for dirigido por pessoas com vontade de fazer diferente, mais e melhor, nos vai permitir ter os instrumentos financeiros que farão com que Baião se desenvolva e não continue na cauda dos priores índices da região do Tâmega e Sousa. Esperamos que se concretizem estas expetativas excelentes! Podemos garantir aos baionenses que se formos eleitos será certamente uma realidade”, disse por fim Paulo Portela.