O Comando Sub-Regional da Proteção Civil do Tâmega e Sousa será instalado em Baião

Ouvir a Notícia

O Comando Sub-Regional de Proteção Civil para o território do Tâmega e Sousa será instalado no concelho de Baião a partir de 2022, segundo anunciou o Ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, aquando da visita ao concelho no passado dia 20 de novembro. O centro deverá ser instalado na Casa de Chavães, em Ovil.

Segundo Eduardo Cabrita, “Foi feita uma análise à morfologia desta região e, face a essa análise, entendeu-se que Baião seria o local adequado, até pela facilidade de a partir daqui nos ligarmos com os municípios que estão na zona norte da região, mas também com os que estão do outro lado do rio Douro”.

O Presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, refere que “Desde a primeira hora que nos disponibilizamos para colaborar neste processo e participamos nesse diálogo com as entidades competentes, porque entendemos que é positivo para Baião receber uma estrutura destas. Este centro vai implicar uma melhor abordagem de proteção civil para o concelho e para a região e irá permitir a fixação, em Baião, de técnicos especializados que vão trabalhar a partir daqui”.

Esta estrutura corresponde a um centro de comando, com técnicos especializados que farão a primeira resposta e comando de meios para ocorrências dentro do espaço do Tâmega e Sousa.

O Ministro da Administração Interna explicou que esta medida se insere na reforma da estrutura da Autoridade Nacional de Proteção Civil, tendo já sido criados centros de comando a uma maior escala regional.

 

Este é o segundo serviço de âmbito regional que Baião irá acolher, após a instalação no concelho de duas brigadas de sapadores florestais da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa constituídas por um total de 30 elementos que atuam em toda a região e estão instalados na antiga Escola Primária do Gôve.

 

A visita do Ministro da Administração Interna a Baião contemplou também a homenagem aos antigos presidente e comandante dos Bombeiros Voluntários de Baião, respetivamente Augusto Freixo e José Costa, bem como uma reunião de trabalho nos Paços do Concelho.

Na reunião foram abordados aspetos relacionados com as condições materiais e humanas que a GNR dispõe em Baião, nomeadamente o número de efetivos e de veículos, com especial atenção à dispersão do povoamento de Baião, à dimensão do concelho e à vasta área florestal que possui.

Foi também realizada uma visita ao Quartel da GNR, que segundo a autarquia baionense, é “um edifício que carece de algumas intervenções para o dotar de melhores condições estruturais para o desempenho das missões de apoio à população.”