A conclusão da construção da Biblioteca Municipal de Baião estará previsto para o fim do primeiro trimestre do ano

Ouvir a Notícia

O Presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, visitou recentemente as obras de construção da nova Biblioteca Municipal de Baião. Esta irá localizar-se no antigo edifício da antiga Escola Primária da Avenida 25 de abril, na sede do concelho, numa empreitada com investimento total de 900 mil e 983 euros cofinanciada a 73,4 por cento  por fundos europeus. A este valor será acrescentado o investimento na compra de equipamento e de mobiliário, que se estima rondar os 150 mil euros. O término da construção está previsto para o final do primeiro trimestre de 2022.

O edil baionense refere que “este novo espaço funcionará como um polo importante na dinamização da cultura do concelho, assim como será um local de conhecimento e de encontro de gerações”.

A obra da Biblioteca Municipal de Baião consiste na reabilitação integral do edifício da antiga escola primária e na construção de um novo volume com três pisos. A área total de construção é de 1065 metros quadrados.

Do lado da Av. 25 de Abril será mantida a estética do edifício existente. A entrada principal será feita por esse edifício, que faz o acolhimento, informação e orientação do utilizador. Aí existirá um balcão de atendimento, sala de formação, cafetaria e instalações sanitárias. Este piso será complementado com terraço e acesso aos pisos inferior e superior (por escadas e elevador).

O edifício vai ter uma entrada alternativa, através de uma rampa lateral, permitindo o acesso a pessoas com mobilidade reduzida.

No piso inferior irá localizar-se a secção infantil e a área de animação para atividades diversas. Neste piso haverá ainda espaços de serviços internos (sala de receção, manutenção e depósito de documentos, área de trabalho, sala de informática, vestiários e arrumos).

No piso superior irá funcionar a secção com livros para adultos e espaços de trabalho (arquivo e arrecadação).

O projeto assenta numa organização dos diferentes espaços, para que seja possível o funcionamento da Biblioteca em horários e eventos alternativos, tornando-a num equipamento público versátil e capaz de aumentar a oferta cultural à comunidade.

A empreitada segue todas as normas e recomendações da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas.