O Município de Baião pretende classificar as Bengalas de Gestaçô como Património Imaterial Nacional

Ouvir a Notícia

A Câmara Municipal de Baião, através do Pelouro da Cultura e Património Cultural  vai procurar classificar as Bengalas de Gestaçô como Património Imaterial Nacional. Este processo da autarquia foi iniciado a 18 de fevereiro aquando da deslocação a Baião de três técnicos da Direção Geral do Património Cultural (DGPC) para aferirem da viabilidade da atribuição deste reconhecimento a este elemento do artesanato baionense.

A visita foi acompanhada pela vereadora da Cultura e Património Cultural, Anabela Cardoso e Rui Mendes, Adjunto da Presidência, tendo também marcado presença os presidentes de freguesia de Gestaçô, António Bento e de Frende, Rui Monteiro, bem como técnicos da autarquia.

Os especialistas da DGPC estiveram nas oficinas dos artesãos, para observar todo o processo de conceção e produção e para perceberem, através dos seus relatos, as matérias-primas utilizadas e a forma como trabalham, nomeadamente as técnicas empregues, que se mantém praticamente inalteradas desde há mais de um século e de que forma o conhecimento foi sendo passado de geração em geração.

A distinção como Património Imaterial Nacional surge em 2003, na 32ª Conferência Geral das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura, onde foi aprovada a Convenção para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial.

De acordo com a Convenção, considera-se Património Cultural Imaterial, “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e aptidões (bem como os instrumentos, objetos, artefactos e espaços culturais que lhes estão associados) que as comunidades, os grupos e, sendo o caso, os indivíduos reconheçam como fazendo parte integrante do seu património cultural.”

A Vereadora da Cultura e Património Cultural ,Anabela Cardoso, acompanhou os técnicos da DGPC e referiu que “esta classificação, a concretizar-se, é algo que pode valorizar de sobremaneira as Bengalas de Gestaçô. E é justo o reconhecimento que também traz para os artesãos, uma vez que estes é que são os verdadeiros continuadores desta arte e aqueles que a mantêm viva. Iniciamos o processo de classificação, que agora seguirá os trâmites a que está sujeito. Esta visita é uma das etapas de avaliação por parte dos técnicos e permite que estes percebam pessoalmente a verdadeira riqueza deste nosso Património. Vamos aguardar pela conclusão do processo e esperamos que as Bengalas de Gestaçô possam ser classificadas como Património Imaterial Nacional, o que muito orgulharia todos os baionenses.”