Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Baião foi desativado

Ouvir a Notícia

Depois de a Direção Geral de Saúde (DGS), ter anunciado que não vai realizar diariamente a divulgação do boletim epidemiológico, a Comissão Municipal de Proteção Civil de Baião, reuniu ontem e decidiu a desativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, a partir do dia de hoje, 11 de março.

A desativação do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil vem no seguimento da resolução do Conselho de Ministros (25-A/2022 de 18 de fevereiro de 2022) que determina para todo o território nacional continental o desagravamento de “situação de calamidade” para “situação de alerta” no âmbito da COVID-19.

Salientar que esta medida, pode a qualquer momento ser alvo de reavaliação, caso a evolução epidemiológica assim o justifique.

Participaram nesta reunião o Vice-Presidente da Câmara Municipal de Baião com o pelouro da Proteção Civil, Filipe Fonseca, a Autoridade de Saúde de Baião, Gabriela Saldanha, os Comandantes dos Bombeiros Voluntários de Baião e de Santa Marinha do Zêzere, Alexandre Pinto e Márcio Vil, o Comandante do Posto da GNR de Baião, José Alves e o Coordenador Municipal de Proteção Civil, José Manuel Ribeiro.

A Autoridade de Saúde de Baião, Gabriela Saldanha, insistiu “na importância da vacinação e na responsabilidade de cada um manter o nível de exigência no cumprimento das regras de proteção, já bem conhecidas. A pandemia ainda não terminou e todos temos de fazer bem para não termos que dar passos atrás”, referiu.

O Vice-Presidente da Câmara, manifestou a importância de retomar as atividades das diversas valências das entidades sociais, para contribuir para uma maior interação das pessoas, salvaguardando a necessidade de estarem todos os elementos já vacinados. Salientou que “a cooperação e o trabalho em rede entre todas as entidades continua”, até porque, acredita, “os riscos provocados pela pandemia da Covid-19 ainda não desapareceram e é importante que todos continuemos a atuar na prevenção e que os Baionenses continuem a cumprir com as normas decretadas”.