Encontram-se abertas as candidaturas à primeira edição das Bolsas de Residência Literária Eça de Queiroz

Ouvir a Notícia

Decorrem até dia 15 de setembro, as inscrições para a primeira edição das Bolsas de Criação Literária Eça de Queiroz, que vão acolher anualmente em Tormes, concelho de Baião, seis escritores. As bolsas têm como objetivo a promoção da produção literária em língua portuguesa e resultam de uma parceria entre a Imprensa Nacional-Casa da Moeda (INCM), a Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) e a Fundação Eça de Queiroz (FEQ).

Cada temporada consiste na estadia de um autor durante um mês em Tormes (FEQ), local idílico com larga tradição literária que inspirou Eça de Queiroz a escrever A Cidade e as Serras.  Os residentes contam com todas as despesas pagas, bem como honorários no valor de 1330€, e ficam alojados numa casa autónoma em Tormes, com todas as condições para terem tempo e sossego para escrever, refere em comunicado a Fundação Eça de Queiroz.

O júri da primeira edição conta com Filipa Melo, José Manuel Cortês e Pedro Mexia, personalidades de reconhecido mérito cultural. A primeira temporada terá lugar no mês de novembro.

 

Fique a par do regulamento: 

BOLSAS DE RESIDÊNCIA LITERÁRIA EÇA DE QUEIROZ 

Artigo 1.º – descrição 

As Bolsas de Residência Literária Eça de Queiroz, fruto de uma parceria entre a Imprensa Nacional Casa da Moeda (INCM), a Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB) e a  Fundação Eça de Queiroz (FEQ), visam promover a produção literária em língua portuguesa nas  modalidades de poesia, ficção narrativa, dramaturgia, ensaio, banda desenhada e obras para a infância  e juventude. 

Cada temporada das Bolsas de Residência Literária Eça de Queiroz consiste na estadia de um autor  durante um mês em Tormes (FEQ), local literário idílico com larga tradição, que inspirou Eça de  Queiroz a escrever A Cidade e as Serras

Artigo 2.º – condições 

Durante a temporada de um mês, o residente terá todas as condições para trabalhar num projeto literário  adequado ao tempo disponível e selecionado pelo júri, nomeadamente: casa autónoma na quinta,  ajudas de custo como estadia e refeições, bem como escritório na casa de Tormes e honorários de  1330€ (mil, trezentos e trinta euros). 

Artigo 3.º – destinatários 

Os destinatários das bolsas são pessoas singulares residentes em Portugal que escrevam em português. 

Artigo 4.º – temporadas 

Anualmente, serão atribuídas bolsas para seis temporadas em Tormes, correspondentes a seis autores,  cada um dispondo de um mês de residência a combinar com a organização. 

Artigo 5.º – candidaturas 

A DGLAB é responsável pela receção e coordenação das candidaturas junto do júri. As candidaturas  deverão ser enviadas para o mail dsl@dglab.gov.pt, contendo os seguintes elementos:

1 – Projeto de criação literária adequado à temporada de um mês (exemplos: conto, capítulo/s  da obra que o candidato se encontra a escrever, conjunto de poemas, ensaio, peça de teatro,  etc.), 

2 – Carta de motivação com o máximo de 3500 caracteres onde também indique  provisoriamente a temporada (mês) em que estaria disponível para residir em Tormes. 3 – CV, sem esquecer todos os dados pessoais e de contacto, bem como referência a publicações  realizadas, caso as tenha. Não tendo obra publicada, deve enviar de qualquer forma textos que  mostrem a sua aptidão para a escrita. 

Artigo 6.º – júri 

O júri contará anualmente com um representante de cada entidade promotora com reconhecido mérito  cultural, sendo presidido pelo representante da Imprensa Nacional-Casa da Moeda.  

Artigo 7.º – avaliação 

O júri deliberará sobre a qualidade, pertinência e adequação dos elementos solicitados no artigo 5.º e  chegará a uma lista hierarquizada de 6 candidatos, mais 4 suplentes, caso algum dos candidatos  selecionados não possa aceitar. Não há lugar a recurso nem reclamação das decisões do júri. 

Artigo 8.º – contrato 

A atribuição da bolsa é formalizada através de um contrato a celebrar entre as entidades promotoras e  o bolseiro, onde constam as obrigações a que cada parte fica sujeita. 

Artigo 9.º – compromissos do residente 

Cumprir o projeto literário apresentado e participar no mínimo de uma iniciativa literária de âmbito  local (Baião). O texto resultante do projeto deverá ser entregue, o mais tardar, 120 (cento e vinte) dias  após o fim da temporada. 

Artigo 10.º – prazos 

Anualmente, serão divulgados os prazos das candidaturas, bem como os meses que se encontram  disponíveis para as temporadas. 

Temporada 2022/2023 

9 de agosto a 15 de setembro – envio das candidaturas 

16 de setembro a 15 de outubro – deliberação do júri 

Novembro de 2022 a junho de 2023 – meses disponíveis para as seis temporadas