Procurar
Close this search box.

87.8 e 88.5


















FM

Baião: Bengalas de Gestaçô classificadas como Património Imaterial Nacional, em regime de “Salvaguarda Urgente”

As Bengalas de Gestaçô, produto artesanal de Baião, recebeu por parte da Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), a classificação como Património Imaterial Nacional, conferindo-lhe o regime de “Salvaguarda Urgente”. As Bengalas assumem-se como “uma das maiores marcas da identidade baionense e uma autêntica manifestação de atenção ao detalhe, graças ao saber fazer passado de geração em geração, com uma longa história na sua produção e conceção”, salienta a autarquia, que submeteu a candidatura à Direção-Geral do Património.


A “Manufatura das Bengalas de Gestaçô”, integra agora o Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial, de acordo a publicação em Diário da República, no dia 29 de novembro de 2023, onde se destaca a “importância da manifestação enquanto reflexo da identidade da comunidade”, bem como a “sua dimensão histórica social e cultural na área territorial em que se insere”, e ainda a “importância para o desenvolvimento sustentável”, além das “atuais características do contexto de transmissão do saber-fazer e as medidas de salvaguarda e valorização” preconizadas na sua viabilidade futura”.

Para a vereadora da Cultura e do Património Cultural, Anabela Cardoso, a obtenção da classificação das Bengalas de Gestaçô é um justo reconhecimento do valor das peças e também do trabalho dos artesãos, verdadeiros continuadores desta arte e seus percursores mantendo-a viva”. Segundo a autarca é também motivo de “grande satisfação para Baião e para os baionenses que somam mais um produto genuíno do concelho com qualidade validada pela Direção Geral do Património Cultural. Além disso, permite-nos salvaguardar e preservar a arte e a conceção de mais uma referência do artesanato e da cultura do nosso concelho”.

Recorde-se que a autarquia apresentou esta candidatura, a 18 de fevereiro de 2022. Nesse sentido, três técnicos da DGPC deslocaram-se a Baião, com o intuito de “aferirem a viabilidade da
atribuição do reconhecimento às peças de artesanato baionense”
. A visita foi acompanhada pela vereadora da Cultura e Património Cultural, Anabela Cardoso e pelos presidentes de freguesia de Gestaçô, António Bento e de Frende, Rui Monteiro, bem como técnicos da autarquia.

Os especialistas estiveram nas oficinas dos artesãos, onde observaram todo o processo de conceção e produção e ouviram dos artesãos a explicação sobre as matérias-primas utilizadas e a forma como trabalham, nomeadamente as técnicas empregues, que se mantêm praticamente inalteradas desde há mais de um século, por via de um conhecimento e experiência que passou de geração em geração”, referiu a autarquia baionense.

Em 2022 foram promovidos pelo Centro de Formação do Artesanato-CEARTE, cursos de formação, onde participaram 19 formandos, de forma a continuar a confeção das Bengalas de Gestaçô.